We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Biden e Putin definem regras para a softwar

2 1 0
18.06.2021

Biden e Putin definem regras para a softwar

Quatro anos de violência conjugal, seguidos de um quase abandono deixaram a Europa à beira de uma crise de nervos. Biden passou por cá menos de uma semana, em terapia.

A primeira visita presidencial de Biden ao estrangeiro teria de ser à Europa, abandonada por Trump e em contraponto à surreal primeira visita deste à Arábia Saudita. A coreografia foi a possível: 3 dias de G7, com os anexos anglo-saxónicos e a Coreia do Sul, menos de um dia de NATO, ainda menos para a União Europeia, com Biden ladeado por dois presidentes de algo que o cidadão americano não sabe o que é, seguidos de uma tarde com Putin.

O encontro com Putin devolveu-nos à tradição genebrina da guerra fria. Putin, vingador da honra perdida da URSS, agradeceu o cuidado do regresso a um cenário de diálogo de igual para igual entre super-potências (nucleares que é o que sobra à Federação Russa). Na conferência de imprensa no final do G7 Biden já tinha piscado o olho: “maybe some strategic doctrine to be worked out with Putin”. Num quadro de conflitos congelados em benefício de Moscovo (Moldávia, Geórgia, Ucrânia), de desrespeito e abandono de várias convenções internacionais de controlo de armas e de efectivos militares, de laissez faire em matéria de ciber-ataques, há necessidade de um modus vivendi entre EUA e Rússia.

Biden anunciou, com candura, ter fornecido a Putin uma lista de 16 alvos proibidos em matéria de infra-estruturas dos EUA. Estes alvos não deverão ser objecto de ciber-ataques sob pena de represálias. E ilustrou o sinalagma evocando o recente ataque ao oleoduto Colonial que paralisou o sueste dos EUA: o que aconteceria à Rússia se os seus oleodutos e gasodutos........

© Jornal i


Get it on Google Play