No processo de acomodação política iniciado após a vitória de Lula, um movimento relevante diz respeito à possibilidade acordo entre o petista e Arthur Lira. A mudança de tom captada dos dois lados fez com que o apoio à reeleição do presidente da Câmara, antes improvável, chegasse às mesas de negociações.

Antes de viajar para um descanso no litoral baiano, Lula procurou petistas e reforçou um pedido de cautela nas articulações com o Congresso. Ele disse que os tamanhos das bancadas e o quadro político do país não permitem que o governo cometa erros e seja derrotado na eleição para o comando da Câmara.

Foi um recado para aliados que buscam se apressar para formar uma coalizão de partidos capaz de isolar Lira e permitir a vitória de um deputado de fora do centrão para a presidência da Casa. A ideia desse grupo é jogar com siglas de esquerda, somadas a MDB, PSD e União Brasil.

A puxada de freio não significa que um acordo Lula-Lira será necessariamente costurado, mas indica que o petista identificou o risco de que o presidente da Câmara use sua influência no plenário para rachar as bancadas daqueles partidos e derrotar o candidato apoiado pelo governo.

Mais

Para dificultar a matemática, o PSD dá sinais de que deve apoiar o governo Lula, mas mantém interesse na reeleição de Lira.

Mesmo alguns petistas avessos ao comportamento pró-bolsonarista de Lira dizem que gastar capital político para tentar derrotá-lo pode ser fatal, principalmente considerando as incertezas sobre o resultado. Seria mais prudente, nesse caso, costurar uma aliança.

A negociação passaria pela redução gradual ou a criação de novas regras para as emendas de relator controladas por Lira —uma maneira de reequilibrar os níveis de influência que o governo e o presidente da Câmara exercem sobre os deputados.

Qualquer conversa sobre o assunto se dará num território de desconfiança mútua, mas tanto Lula como Lira são conhecidos por cumprir até os acordos mais amargos.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Leia tudo sobre o tema e siga:

Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!

Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

QOSHE - As chances de um acordo entre Lula e Arthur Lira na Câmara - Bruno Boghossian
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

As chances de um acordo entre Lula e Arthur Lira na Câmara

5 2 1
05.11.2022

No processo de acomodação política iniciado após a vitória de Lula, um movimento relevante diz respeito à possibilidade acordo entre o petista e Arthur Lira. A mudança de tom captada dos dois lados fez com que o apoio à reeleição do presidente da Câmara, antes improvável, chegasse às mesas de negociações.

Antes de viajar para um descanso no litoral baiano, Lula procurou petistas e reforçou um pedido de cautela nas articulações com o Congresso. Ele disse que os tamanhos das bancadas e o quadro político do país não permitem que o governo cometa erros e seja derrotado na eleição para o comando da Câmara.

Foi um recado para aliados que buscam se apressar para formar uma coalizão de partidos capaz de isolar Lira e permitir a vitória de um deputado de fora do centrão para a presidência da Casa. A ideia desse........

© UOL


Get it on Google Play