A tarde e a más horas na Liga portuguesa, o equilíbrio parece ter sido encontrado com um sistema táctico que privilegia a capacidade dos jogadores mais decisivos que o plantel demonstra ter e coloca outros, até agora deambulantes, em seu sítio. Frente ao Portimonense, um jogo impositivo e sem margem para dúvidas após a vitória retumbante sobre o Benfica. Francisco Conceição e Galeno são a ruptura em velocidade, em curto espaço ou espaço largo, Pepê é o falso 10 ou o 8 com disfarce. Tarde para causar uma primeira ou segunda boa impressão, o F. C. Porto aborda o último terço da época para deixar uma impressão final.

Por razões às vezes difíceis de descortinar, o F. C. Porto escolheu o caminho mais difícil. Longe do título nacional mas com a Taça de Portugal no horizonte, é na Liga dos Campeões que se poderá materializar o traço distintivo desta época. Hoje, perante o Arsenal, uma tarefa quase impossível encontra uma grande oportunidade para fazer História e é a equipa que tem a palavra e a vantagem da primeira mão. Marcar golos em Londres, pelo menos um, deverá ser tarefa obrigatória mesmo quando um golo foi algo que o F. C. Porto nunca conseguiu nas três visitas aos “gunners”. Se o Arsenal é uma equipa altamente concretizadora, o que dizer dos dragões nos dois últimos jogos (8 golos sem resposta)? Acreditar é preciso, assim como resistir ao ímpeto inicial dos londrinos.

Jogar para duas Ligas dos Campeões numa só semana. A realidade reaparece ao sábado e, mesmo que hoje se faça História, é frente ao Vizela que o F. C. Porto vai fazer por merecer o caminho que lhe entregará o acesso à Liga dos Campeões na próxima época. Que assim continue a ser amanhã.

O autor escreve segundo a antiga ortografia

*Adepto do F. C. Porto

QOSHE - Impressão final - Miguel Guedes
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Impressão final

10 0
12.03.2024

A tarde e a más horas na Liga portuguesa, o equilíbrio parece ter sido encontrado com um sistema táctico que privilegia a capacidade dos jogadores mais decisivos que o plantel demonstra ter e coloca outros, até agora deambulantes, em seu sítio. Frente ao Portimonense, um jogo impositivo e sem margem para dúvidas após a vitória retumbante sobre o Benfica. Francisco Conceição e Galeno são a ruptura em velocidade, em curto espaço ou espaço........

© Jornal de Notícias


Get it on Google Play