Aquilo que está a acontecer em Portugal na relação entre a classe política e o poder judicial é uma tragédia, mas é uma tragédia anunciada há muito. Não vale a pena estar a distribuir responsabilidades por todos, porque o principal responsável é só um: quem tem o poder de desenhar a arquitectura do sistema político e judicial português. Esse poder não está nas mãos dos investigadores, dos procuradores ou dos juízes – está nas mãos dos políticos, que, por falta de empenho, cobardia e manifesto interesse pessoal, deixaram que as coisas se arrastassem até aqui, à boleia de uma frase abstrusa e inaplicável que António Costa impôs como um mantra: “À política o que é da política; à justiça o que é da justiça.”

QOSHE - Porque é que não tenho nenhuma pena da classe política - João Miguel Tavares
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Porque é que não tenho nenhuma pena da classe política

17 15
20.04.2024

Aquilo que está a acontecer em Portugal na relação entre a classe política e o poder judicial é uma tragédia, mas é uma tragédia anunciada há muito. Não vale a pena estar a........

© PÚBLICO

Get it on Google Play