Quem já foi expulso mais de 20 vezes, apenas na condição de treinador, deve saber do que se fala quando de cartões vermelhos se trata

Quem já foi expulso mais de 20 vezes, apenas na condição de treinador, deve saber do que fala quando de cartões vermelhos se fala. Já menos isso acontecerá quando se ensaia uma espécie de teoria conspirativa depois de um empate em casa com uma equipa minhota para justificar mais um resultado negativo. Que estão a meter a região norte fora do mapa de sucesso desportivo, acusa-se, sem provas, atirando a integridade do jogo para a lama e ignorando o desempenho de SC Braga e V. Guimarães, que, até prova em contrário, também não são do sul do país. Não vale a pena dizer muito mais sobre isso.

Sérgio Conceição, antes do jogo com o V. Guimarães da segunda mão da Taça de Portugal, considerou interessante uma estatística - que o FC Porto é a equipa que precisa de menos faltas para ter vermelhos. Tomemos por boa a palavra do treinador, apesar de ser impossível estabelecer uma relação direta entre as duas coisas e de não sabermos se estava apenas a referir-se ao campeonato.

Esta época, em 45 jogos em todas as provas, o FC Porto soma dez expulsões, nove no campeonato e uma na Supertaça (seis por vermelho direto e quatro por acumulação de amarelos). Todas corretas, segundo o ex-árbitro Duarte Gomes, colaborador de A BOLA.

Pepe foi expulso três vezes: uma na Supertaça, contra o Benfica, por conduta violenta sobre Jurásek, atingindo o lateral checo na coxa/nádega, numa ação ostensiva com o joelho direto, outra contra o Sporting, por agressão a Matheus Reis, e finalmente contra o V. Guimarães, por gesto tipificado como ofensivo. Fábio Cardoso, contra o Benfica, viu o vermelho direto por derrubar Neres e impedir o avançado de criar clara oportunidade de golo. Diogo Costa, contra o Estoril, foi para a rua depois de impedir que um avançado adversário pudesse prosseguir clara oportunidade de golo. Evanilson, contra o Famalicão, deu uma cabeçada num adversário.

Sobram as expulsões por acumulação de amarelos. Fábio Cardoso, contra o Arouca, viu um por pisar um adversário e cortar um ataque prometedor e outro por entrada negligente. Wendell, na primeira jornada, contra o Moreirense, foi advertido por entrada por trás e por entrada negligente. David Carmo, contra o Portimonense, na jornada 8, viu amarelos por duas entradas negligentes. Por fim, Francisco Conceição, no Estoril, foi advertido por protestos e por conduta antidesportiva.

Só nestes jogos, muita sorte teve o FC Porto. Na partida da Amoreira, por exemplo, ficou um vermelho direto por exibir a Otávio por conduta violenta e Francisco Conceição deveria ter visto logo vermelho direto por insultar António Nobre, que lhe mostrou apenas amarelo. «A escolha de ter permanecido em campo foi, apenas e só, do árbitro leiriense», escreveu Duarte Gomes. Recuando ao jogo com o Portimonense, no Algarve, que os dragões venceram por 1-0, ficou um penálti por assinalar contra o FC Porto, quando Diogo Costa «tentou tocar a bola […] mas atingiu apenas o rosto de Dener». Finalmente, no jogo com o Arouca, Francisco Conceição deveria ter sido sancionado com o segundo amarelo e consequente expulsão, mas o lance escapou à equipa de arbitragem. «Passou a bola a Weverson, não para as mãos, mas na direção do rosto do adversário. O instinto do avançado foi mesmo antidesportivo», assinalou Duarte Gomes.

Sérgio Conceição é o primeiro responsável pela conquista de troféus no FC Porto e, na medida exata, do fiasco da atual temporada.

QOSHE - Vermelho em Conceição - Nuno Paralvas
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Vermelho em Conceição

14 5
18.04.2024

Quem já foi expulso mais de 20 vezes, apenas na condição de treinador, deve saber do que se fala quando de cartões vermelhos se trata

Quem já foi expulso mais de 20 vezes, apenas na condição de treinador, deve saber do que fala quando de cartões vermelhos se fala. Já menos isso acontecerá quando se ensaia uma espécie de teoria conspirativa depois de um empate em casa com uma equipa minhota para justificar mais um resultado negativo. Que estão a meter a região norte fora do mapa de sucesso desportivo, acusa-se, sem provas, atirando a integridade do jogo para a lama e ignorando o desempenho de SC Braga e V. Guimarães, que, até prova em contrário, também não são do sul do país. Não vale a pena dizer muito mais sobre isso.

Sérgio Conceição, antes do jogo com o V. Guimarães da segunda mão da Taça de Portugal, considerou interessante uma estatística - que o FC Porto é a equipa que precisa de........

© A Bola


Get it on Google Play