We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Destinos

2 4 28
14.01.2018

É muito complicado saber o que é mais importante, se a partida, se o destino, se a viagem. Mas há quem à partida tenha a viagem como destino. Convidaram-me para falar num encontro de especialistas europeus em mobilidade cujo tema é o valor do tempo de viagem. Não é sobre viajar no tempo nem sobre o valor da viagem, mas sobre o valor que atribuímos aos tempos de viagem. Em rigor, é uma coisa no âmbito do workshop Future Trends and Hypotheses on the Value of Travel Time, do projeto europeu MoTiV - Mobility and Time Value, organizado em Portugal pelo especialista em transportes João Bernardino. E é no Convento da Arrábida. E chegar ao Convento da Arrábida é uma viagem que não tem um valor que se pode medir em dinheiro, nem sequer em espaço, nem muito menos em tempo.

Os modelos que estão por trás das políticas públicas de transportes, e dos planos concretos, têm muita dificuldade em valorizar esta variável. E o problema é que tudo está a mudar.........

© Diário de Notícias