As autoridades da Alemanha mostraram que levam a sério ameaças de golpe de Estado. Nesta quarta (7), a polícia do país prendeu 25 integrantes de um grupo de extrema direita que tramava um ataque armado à sede da Câmara para derrubar o governo e levar ao poder um descendente da família real.

Entre os conspiradores estavam monarquistas e simpatizantes do nazismo. Segundo o Ministério Público, eles eram "unidos por uma profunda rejeição às instituições". Os investigadores se recusaram a tratar os conspiradores como um punhado de radicais e lunáticos. Quase 3.000 policiais foram chamados para fazer as prisões.

O peso da lei é a única resposta possível para o golpismo. Num sistema democrático, qualquer cidadão pode declarar "profunda rejeição" ao resultado de uma eleição, às decisões de um governante ou a um regime político. A tolerância termina quando esse cidadão ameaça o próprio sistema democrático.

No Peru, o presidente Pedro Castillo foi destituído e preso depois de ensaiar uma manobra nos moldes do autogolpe de Alberto Fujimori, há 30 anos. Nesta quarta, o líder esquerdista anunciou a dissolução do Congresso e um governo de exceção.

A Constituição peruana autoriza o presidente a dissolver o Legislativo em determinados casos, mas Castillo tentou agir fora dessas regras. A ideia era escapar de um processo de impeachment e ampliar seu poder.

No Brasil, conspiração golpista ocorre à luz do dia. Incentivados por parlamentares e ministros, manifestantes permanecem mobilizados para impedir a posse de um presidente eleito pelo voto e instalar no país um regime autoritário.

Uma linha presente nos protestos é o plano de usar a força para reverter o resultado da eleição, com ataques violentos em rodovias, participação efetiva de militares e a convocação de civis armados. Na última terça (6), a Polícia Federal prendeu um empresário que convocava atiradores para o acampamento golpista montado em Brasília.

Mais

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Leia tudo sobre o tema e siga:

Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!

Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

QOSHE - Peso da lei é a única resposta possível para ameaças golpistas - Bruno Boghossian
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Peso da lei é a única resposta possível para ameaças golpistas

8 41 84
08.12.2022

As autoridades da Alemanha mostraram que levam a sério ameaças de golpe de Estado. Nesta quarta (7), a polícia do país prendeu 25 integrantes de um grupo de extrema direita que tramava um ataque armado à sede da Câmara para derrubar o governo e levar ao poder um descendente da família real.

Entre os conspiradores estavam monarquistas e simpatizantes do nazismo. Segundo o Ministério Público, eles eram "unidos por uma profunda rejeição às instituições". Os investigadores se recusaram a tratar os conspiradores como um punhado de radicais e lunáticos. Quase 3.000 policiais foram chamados para fazer as prisões.

O peso da lei é a única resposta possível para o golpismo. Num sistema democrático, qualquer cidadão pode declarar "profunda rejeição" ao resultado de uma eleição, às decisões de um governante ou a um........

© UOL


Get it on Google Play