O PSOL apoiou Lula desde o 1º turno. Posição política correta, pois tratava-se, na eleição, de compor uma frente democrática para derrotar o fascismo. Lula foi eleito com a menor margem de diferença de votos desde a redemocratização do país – pouco mais de 2 milhões de votos.

Hoje, o PSOL é da base de sustentação do governo. Reconhecemos que, em várias áreas, como Saúde, fiscalização ambiental, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e política de valorização do salário-mínimo, há avanços.

O desemprego cai ao menor índice da última década e o PIB vai crescer um pouco acima do projetado.

Nas relações internacionais, o Brasil voltou a ter protagonismo e independência, rompendo o isolacionismo e o alinhamento com governos de direita implementado por Bolsonaro.

Podemos respirar aliviados em relação ao obscurantismo dominante nos últimos quatro anos, apesar de a extrema direita demostrar, ainda, força social e contar com uma bancada numerosa e ruidosa no Congresso Nacional.

Mas, para prosseguir na boa trilha, é preciso que o governo ouça críticas também (o próprio Lula já pediu isso dos movimentos sociais).

Com autonomia política e compromisso republicano, consideramos que:

1) o ministro Juscelino, das Comunicações, tem que comunicar seu afastamento até que todas as acusações que sofre sejam esclarecidas;

2) essa "novela" da entrega de ministérios, da Caixa Econômica e outras estatais para o Centrão fisiológico, sem a mínima consideração da qualificação técnica, tem o enredo antigo do toma lá dá cá, que costuma dar muito problema;

3) indicar "conselheiros" de empresas privadas, por mais usual que seja, não pode ser meio de aumentar remuneração de ministros;

4) a adesão à ortodoxia neoliberal na economia vai estrangular políticas sociais no orçamento de 2024.

Para o PSOL, alertar o governo sobre equívocos é também uma maneira de ajudar. Continuaremos vigilantes, em defesa da ética política, do bom uso dos recursos públicos e de políticas sociais mais justas e inclusivas para o povo brasileiro.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

QOSHE - O dever da crítica - Chico Alencar
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

O dever da crítica

4 0
06.09.2023

O PSOL apoiou Lula desde o 1º turno. Posição política correta, pois tratava-se, na eleição, de compor uma frente democrática para derrotar o fascismo. Lula foi eleito com a menor margem de diferença de votos desde a redemocratização do país – pouco mais de 2 milhões de votos.

Hoje, o PSOL é da base de sustentação do governo. Reconhecemos que, em várias áreas, como Saúde, fiscalização ambiental, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e política de valorização do salário-mínimo, há avanços.

O desemprego cai ao menor........

© Revista Fórum


Get it on Google Play