We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Eleições à vista

3 3 0
17.06.2019

O período eleitoral está próximo. Os partidos entre as estratégias, as jogadas, os corredores, os financiamentos e até, quem sabe, algumas propostas, cerram as suas fileiras.

Sim, os partidos. Esses cancros da sociedade como tão vulgarmente lhes é apelidado. Sim os partidos, aqueles garantes da democracia que, dia após dia, nos fazem a nós, cidadão comum, afastar dela. A vexatia quaestio é o por quê desta automutilação.

Na verdade, todos os partidos, fora os radicalismos inerentes a uns deles, consentem o sistema da democracia como “o pior dos regimes políticos, mas não há nenhum melhor que ela”. A ideia subjacente a este paradoxo encontra-se alicerçado na representatividade. Ainda assim, como podemos verificar hodiernamente, não existe representação política fiel. Assim, as democracias, com especial enfoque na portuguesa, entraram em crise de indiferença.

O pressuposto da representatividade é fundamental num sistema multipartidário (negocial) parlamentar, como é o nosso. No entanto, nós, o cidadão comum, encontra uma tremenda dificuldade em conseguir traduzir os seus votos nos........

© Observador