Quando Afonso de Albuquerque, no início do século XVI, procurou dominar o Oceano Índico com meios limitados, o brilhante e brutal estrategista apostou em controlar os estreitos de Malaca, de Ormuz e de Áden. São exemplos de pontos de estrangulamento da geopolítica global, estreitos e canais que são pontos de passagem quase obrigatória da navegação mundial, e que por isso são vitais para a segurança marítima e económica global. O Estreito de Áden é especialmente importante para a Europa.

A importância do Estreito de Áden

Entre 80 e 90% do comércio internacional é feito por via marítima. É a forma de transporte mais barata. A segurança marítima é, portanto, indispensável para a nossa segurança económica e energética, bem como para ajudar a conter a inflação. Ela é especialmente importante para os países europeus, como Portugal, historicamente muito dependentes do comércio externo, como grandes exportadores e importadores. O Estreio de Áden representa 15% do comércio mundial e 30% do transporte de contentores, o que é muito significativo. Mas, sobretudo, representa mais de metade do comércio entre a Europa e a Ásia, bem como a maioria da exportação de petróleo e gás dos países do Golfo Arábico para a Europa. A alternativa é a velha rota do Cabo que implica, no mínimo, mais 10 dias de viagem e maiores custos. Nas últimas semanas, com a ameaça mortal à segurança da navegação civil pelos ataques dos Houthis a partir do Iémen, o número de navios que transitam pelo estreito de Áden já caiu para menos de metade. É um precedente muito perigoso para a segurança marítima global, e, em especial, para a segurança económica da Europa.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.

Receba um alerta sempre que Bruno Cardoso Reis publique um novo artigo.

QOSHE - O Estreito de Áden ameaçado, e a Europa? - Bruno Cardoso Reis
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

O Estreito de Áden ameaçado, e a Europa?

21 1
26.01.2024

Quando Afonso de Albuquerque, no início do século XVI, procurou dominar o Oceano Índico com meios limitados, o brilhante e brutal estrategista apostou em controlar os estreitos de Malaca, de Ormuz e de Áden. São exemplos de pontos de estrangulamento da geopolítica global, estreitos e canais que são pontos de passagem quase obrigatória da navegação mundial, e que por isso são vitais para a segurança marítima e económica global. O Estreito de Áden é especialmente importante para a Europa.

A........

© Observador


Get it on Google Play