Expulsar um treinador por pontapear a bola num ato de frustração é um exagero. Só o relatório poderá esclarecer a decisão de Hélder Malheiro, que atira Conceição para a bancada no próximo jogo.

Ao contrário do que se possa pensar, o grande poder dos imperadores romanos não era mandar matar, era salvar um condenado da morte. Saber usar a autoridade é uma missão delicada, que requer conhecimento, coragem e bom-senso. Sem ter isto em conta, pode ser interpretada como autoritarismo, uma qualidade dispensável num líder.

Hélder Malheiro é árbitro, Sérgio Conceição treinador. Ambos tinham responsabilidades importantes no jogo de ontem. Foi um desafio tranquilo, para todos os intervenientes, até ao momento em que Conceição pontapeou a bola, aparentemente, em protesto por falta evidente sobre Grujic, que ficou por assinalar. Perante a ação do técnico, o árbitro tinha três opções: fazer de conta que não viu, sensibilizar o treinador através da palavra ou agir disciplinarmente. Se tivesse adotado a primeira, estaríamos perante um ato de covardia inadmissível, qualquer das outras opções seria aceitável. Hélder Malheiro optou pela terceira, é compreensível. Incompreensível, mesmo, parece ser o facto de não ter mostrado o cartão amarelo a Conceição, aplicando-lhe, à primeira, a pena máxima, após um ato de frustração.

QOSHE - Conceição a pagar pelo que já foi punido - Vítor Santos
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Conceição a pagar pelo que já foi punido

8 0 60
09.11.2022

Expulsar um treinador por pontapear a bola num ato de frustração é um exagero. Só o relatório poderá esclarecer a decisão de Hélder Malheiro, que atira Conceição para a bancada no próximo jogo.

Ao contrário do que se possa pensar, o grande poder dos imperadores romanos não era mandar matar, era salvar um condenado da morte.........

© O Jogo


Get it on Google Play