We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Contribuir para uma cidadania mais fortalecida e para uma sociedade responsavelmente mais informada e intransigente face ao problema da fraude e da corrupção – propósitos do Observatório de Economia e Gestão da Fraude

1 0 0
25.10.2021

Contribuir para uma cidadania mais fortalecida e para uma sociedade responsavelmente mais informada e intransigente face ao problema da fraude e da corrupção – propósitos do Observatório de Economia e Gestão da Fraude

O Observatório de Economia e Gestão de Fraude procura contribuir para uma sociedade mais consciente, responsável e envolvida sobre a importância da ética e da integridade na vida pública e nas organizações, designadamente das circunstâncias, dos efeitos e dos custos da fraude, da corrupção e da economia não registada.

O Observatório de Economia e Gestão de Fraude (OBEGEF), conhecido por muitos simplesmente como Observatório contra a fraude, foi criado em novembro de 2008 por professores e alunos das primeiras edições da formação pós-graduada em gestão e prevenção de fraude organizadas pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

O Observatório – é assim que a maioria dos seus membros o designa – é integrado por um conjunto de académicos e de técnicos de investigação, controlo e prevenção da fraude e da corrupção, provenientes das mais diversas áreas – investigadores criminais, técnicos tributários, auditores internos, inspetores de serviços públicos, gestores de risco, etc.

A partir do cruzamento multidisciplinar dos diversos saberes e experiências daqueles que se têm vindo a associar a este projeto, o Observatório procura contribuir para um conhecimento mais rico e detalhado destes fenómenos, que podem ocorrer – que ocorrem! – em qualquer contexto organizacional e nas mais variadas circunstâncias, e que, por isso mesmo, devem ser objeto de naturais cuidados de controlo e prevenção.

O Observatório de Economia e Gestão de Fraude tem procurado contribuir igualmente para uma sociedade mais consciente, responsável e envolvida sobre a importância da ética e da integridade na vida pública e nas organizações, designadamente das circunstâncias de ocorrência, dos efeitos e dos custos da fraude, da corrupção e da economia não registada.

Animados por este espírito, os seus membros têm-se envolvido em diversos projetos que compreendem desde logo uma regular presença nos media, designadamente através da produção e divulgação de breves textos de reflexão livre e esclarecida sobre os referidos fenómenos, tal como o presente texto que o estimado leitor agora está a ler, bem assim como a organização e participação em Conferências, em Intervenções Públicas, na colaboração em projetos formativos sobre gestão e prevenção de riscos de fraude, bem como de promoção e reforço de culturas organizacionais de maior integridade.

Das conferências organizadas pelo Observatório de Economia e Gestão de Fraude importa conceder um particular destaque à Interdisciplinary Insights on Fraud and Corruption, realizada na Faculdade de Economia do Porto em setembro de 2012, que incluiu a realização de Cursos breves e Tutoriais de Mestrado e Doutoramento sobre as mesmas temáticas, e que contou com nomes tão relevantes a nível mundial no estudo destas temáticas como Michael Levi, Professor de Criminologia da Universidade de Cardiff, Friedrich Schneider, Professor de Economia da Universidade Johannes........

© Jornal i


Get it on Google Play