O futebol é uma artilharia de soldados, a cada um é-lhe reconhecida uma virtude de destaque, a qualidade e o charme individual deve distingui-los, dando direito às insígnias de honra. A justiça deve ser propriedade do coletivo, contudo, só alguns fazem o que ninguém faz.

Longínquo é o tempo em que a denominada "vedeta" era digna de determinadas regalias e privilégios, as manias e os truques eram outros, intelectualmente respeitavam o futebol. O jogador moderno não tem intelecto futebolístico.

Salvo raríssimas exceções, os grandes jovens de hoje não têm grandeza alguma, na sua cabeça existe um pedestal de aparatos e ostentação de estilo, as "botas" são caríssimas, porém, a humildade não cabe nas "botas".

Enormes talentos vão caindo no poço do arrependimento, agora já é tarde, tivesses ouvido atentamente aquele que te quis ensinar e mostrar o caminho, mais te valia ter um "chinelo" barato e com espaço para a obediência, disciplina e respeito. O craque também joga descalço.

Para os "rapazotes" imaturos de hoje, o conceito de "vedeta" está completamente anarquizado, progredir e ampliar o seu talento nos treinos para um dia nascer uma estrela já não existe, ao invés disso, querem ser vedetas para não terem de passar por esse mesmo processo. "Delete" venha o próximo.

*Treinador

QOSHE - A vedeta fictícia - Vasco Oliveira
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

A vedeta fictícia

4 0 0
01.10.2022

O futebol é uma artilharia de soldados, a cada um é-lhe reconhecida uma virtude de destaque, a qualidade e o charme individual deve distingui-los, dando direito às insígnias de honra. A justiça deve ser propriedade do coletivo, contudo, só alguns fazem o que ninguém faz.

Longínquo é o tempo em que a denominada "vedeta"........

© Jornal de Notícias


Get it on Google Play