As últimas páginas antes da viragem da primeira volta do campeonato são reveladoras de novas oportunidades para fazer diferente e melhor. A derradeira semana trouxe duas exibições colectivamente mais capazes através da introdução de um sistema táctico em 4-2-3-1 que joga com o que de melhor os jogadores à disposição do plantel de Sérgio Conceição podem oferecer. Sem Taremi, perde-se parte da razão de jogar com dois pontas de lança. Com Pepê nas costas de um inspirado Evanilson, abrem-se espaços nas alas para dois movimentos de ruptura: o ataque à profundidade de Galeno/Gonçalo Borges e os duelos de intensidade em espaço curto de Francisco Conceição ou Iván Jaime. Há novas opções para desmoronar equipas que gostam de jogar em todo o campo, sendo necessário testar este sistema contra equipas recuadas e projecção defensiva em autocarro. A ideia de jogo não se altera, possibilitando maior solidez ao meio-campo em duplo pivot defensivo nos momentos de reequilíbrio.

A vitória frente ao Estoril permite prosseguir na defesa do ceptro da Taça de Portugal e inverter a tendência de fracasso perante o Estoril. Há duas sem três. Os três pontos amealhados com o Braga são igualmente decisivos, ainda que mais importantes. Sem eles, o F. C. Porto estaria a manter o Braga na luta pelo título e a afastar-se quase que irremediavelmente dos grandes rivais. Com uma segunda volta de excepção, recebendo Sporting e Benfica no Dragão, a esperança azul e branca tem que residir na capacidade de superação de uma primeira volta apática e sem sabor nacional, “apenas” competente na Liga dos Campeões para que está genuinamente talhada de forma a aproveitar os espaços cedidos pelos adversários.

*O autor escreve segundo a antiga ortografia

*Adepto do F. C. Porto

QOSHE - Razões para acreditar - Miguel Guedes
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Razões para acreditar

4 0
17.01.2024

As últimas páginas antes da viragem da primeira volta do campeonato são reveladoras de novas oportunidades para fazer diferente e melhor. A derradeira semana trouxe duas exibições colectivamente mais capazes através da introdução de um sistema táctico em 4-2-3-1 que joga com o que de melhor os jogadores à disposição do plantel de Sérgio Conceição podem oferecer. Sem Taremi, perde-se parte da razão de jogar com dois pontas de lança. Com........

© Jornal de Notícias


Get it on Google Play