O título dizia: “Primeira-ministra finlandesa apanhada a...” e depois era preciso abrir a notícia para ver o resto. Fiquei interessado, evidentemente. Se, estando eu em Portugal, alguém queria informar-me acerca do que a primeira-ministra finlandesa tinha sido apanhada a fazer, o mais provável era que o assunto fosse importante. Não nos chegam assim tantas notícias sobre a actualidade finlandesa, que parece ser, aliás, bastante desinteressante. Só mesmo o mais relevante passa no crivo e é digno de ser noticiado. O que seria, desta vez? Teria ela sido apanhada a desviar fundos? A mentir no currículo? A combinar com um amigo rico a entrega de fotocópias? A espancar um gatinho? Abri a notícia: “Primeira-ministra finlandesa apanhada a dançar.” Portanto, fui ler o texto. Teria sido apanhada a dançar com Vladimir Putin? Num velório? Sobre o cadáver de um adversário político? Não, estava mesmo só a dançar. Nem a música ofendia grupos oprimidos nem a dança constituía apropriação cultural. Nada. Estava a dançar numa festa privada com amigos. Ou seja, o contrário teria sido mais relevante: “Primeira-ministra apanhada a não dançar em festa. Finlandeses devem pensar se querem continuar a ser liderados por macambúzia.” Mas, se ser apanhado a dançar numa festa é problemático, acaba por ser difícil imaginar o que poderá ser escandaloso na Finlândia. Receio que “primeira-ministra apanhada a contemplar linda paisagem”, “primeira-ministra apanhada a ler um romance” ou “primeira-ministra apanhada a comer uma sobremesa” possam ser futuras notícias.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - Apanhada em flagrante alegria - Ricardo Araújo Pereira
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Apanhada em flagrante alegria

9 13 162
27.08.2022

O título dizia: “Primeira-ministra finlandesa apanhada a...” e depois era preciso abrir a notícia para ver o resto. Fiquei interessado, evidentemente. Se, estando eu em Portugal, alguém queria informar-me acerca do que a primeira-ministra finlandesa tinha sido apanhada a fazer, o mais provável era que o assunto fosse importante. Não nos chegam assim tantas notícias sobre a actualidade finlandesa, que parece ser, aliás, bastante desinteressante. Só mesmo o........

© Expresso


Get it on Google Play