Sou um homem morto.” Salman Rushdie confessou que foi isso que disse para si mesmo quando uma jornalista da BBC lhe ligou na manhã de 14 de Fevereiro de 1989, anunciando-lhe a fatwa iraniana. Depois do telefonema, trancou as janelas e as portas, como se isso resolvesse a questão. Em seguida foi, como estava previsto, ao funeral de um amigo, Bruce Chatwin. Já não voltaria a casa.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - De cortar à faca - Pedro Mexia
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

De cortar à faca

4 2 24
27.08.2022

Sou um homem morto.” Salman Rushdie confessou que foi isso que disse para si mesmo quando uma jornalista da BBC lhe ligou na manhã de 14 de Fevereiro de 1989,........

© Expresso

Get it on Google Play