O despacho do primeiro-ministro reagindo às críticas do presidente da Endesa ao mecanismo ibérico que limita o preço do gás para efeitos de produção recordou-me uma famosa frase do general peruano Óscar Benavides: “Para os meus amigos, tudo; para os inimigos, a lei.” As declarações do presidente da Endesa são criticáveis: suscitou o risco de o mecanismo agravar o preço da eletricidade a pagar pelos consumidores, mas sem fundamentar de forma adequada. Já foi, aliás, desmentido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, que, embora confirmando que o diferencial de preço face ao mercado será assegurado por alguns consumidores, ainda assim o preço a pagar será sempre inferior àquele que resultaria do mercado sem este mecanismo ibérico.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - Para os inimigos, a lei - Miguel Poiares Maduro
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Para os inimigos, a lei

6 1 1
15.08.2022

O despacho do primeiro-ministro reagindo às críticas do presidente da Endesa ao mecanismo ibérico que limita o preço do gás para efeitos de produção recordou-me uma famosa frase do general peruano Óscar Benavides: “Para os meus amigos, tudo; para os........

© Expresso

Get it on Google Play