Os dias passaram a meses, os objetivos territoriais encolheram (e agora até esses estão em causa) mas Putin, sem surpresas, segue a lógica de quem, estando num buraco, continua a escavar cada vez mais fundo. A escalada militar que anunciou e as ameaças a ela associada são, no entanto, o reconhecimento de que está a perder, não apenas a guerra, mas também o controlo da sociedade russa. Agora a intervenção especial já é, afinal, uma guerra (embora fale de guerra parcial). E a necessidade de impor a mobilização militar dos jovens russos (com alguma formação militar prévia) é o principal reconhecimento de que está a perder essa guerra. Com isso chegaram também as ameaças, mais explicitas que implícitas, de uso de armas nucleares. Soam a desespero, mas não podemos ter a certeza que sejam apenas bluff. A questão é o que fazer perante elas.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - Como responder a Putin - Miguel Poiares Maduro
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Como responder a Putin

6 1 9
25.09.2022

Os dias passaram a meses, os objetivos territoriais encolheram (e agora até esses estão em causa) mas Putin, sem surpresas, segue a lógica de quem, estando num buraco, continua a escavar cada vez mais fundo. A escalada militar que anunciou e as ameaças a ela associada são, no........

© Expresso

Get it on Google Play