Quando acabei a Escola Secundária e entrei na Universidade do Porto continuei a viver em casa dos meus pais. Eu tinha 17 anos, vivia a cerca de 45 minutos de autocarro mais 15 minutos a pé da Faculdade de Ciências, e sair de casa não era sequer uma opção. Mas eu sonhava com acabar o curso e poder sair de casa. E, segundo me lembro (já lá vão 30 anos!), todos à minha volta ansiavam o mesmo. E assim foi. Com 21 anos alcancei a minha independência, vim viver para Lisboa por uns curtos meses e depois rumei para Londres. Mas, 30 anos volvidos, a realidade parece ser bastante diferente. Em Portugal, ter mais de 30 anos e ainda viver em casa dos pais é hoje um cenário comum (https://www.ffms.pt/pt-pt/estudos/os-jovens-em-portugal-hoje).

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - Sair de casa e viver a vida - Maria Manuel Mota
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Sair de casa e viver a vida

5 3 65
17.09.2022

Quando acabei a Escola Secundária e entrei na Universidade do Porto continuei a viver em casa dos meus pais. Eu tinha 17 anos, vivia a cerca de 45 minutos de autocarro mais 15 minutos a pé da Faculdade de Ciências, e sair de casa não era sequer uma........

© Expresso

Get it on Google Play