Ana Vieira, inspetora do SEF, brindou-nos com as seguintes declarações perante as intermináveis horas de espera que os estrangeiros têm de enfrentar na fronteira: “Muito honestamente, não estávamos preparados para este aumento exponencial de passageiros.” Agradecemos a honestidade, mas preferíamos que o SEF a trocasse por competência. A dita inspetora devia ser a única portuguesa que não sabia que ia haver um crescimento considerável do número de turistas. Os voos estão marcados há muito, concentrados por várias companhias na parte da manhã. Bastava olhar para um calendário para saber que os feriados de junho iam ser um problema. Não houve nem planeamento nem capacidade de resposta. Nem por parte do SEF nem do Governo. Passam os anos e os problemas persistem sem que se consigam encontrar respostas. É assim tão difícil? Acredito que a solução não seja fácil, mas se nada é feito o problema não vai simplesmente desaparecer.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - Mediocridade irritante - João Vieira Pereira
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Mediocridade irritante

4 2 1
17.06.2022

Ana Vieira, inspetora do SEF, brindou-nos com as seguintes declarações perante as intermináveis horas de espera que os estrangeiros têm de enfrentar na fronteira: “Muito honestamente, não estávamos preparados para este aumento exponencial de passageiros.” Agradecemos a honestidade, mas........

© Expresso


Get it on Google Play