Vejo uma criança de pouco mais de dois anos, muito bem vestida, sozinha, a caminhar com os esboços tremidos de passos que a idade determina. Já sabe andar, mas digamos: ainda não é uma especialista. Provavelmente ainda não conseguirá sequer correr.

Olho para todos os lados. Penso: uma criança abandonada, como é possível? Levanto e rodo a cabeça para todos os lados. Vejo uma mulher mais à frente, uns quatro metros à frente da criança. Percebo rapidamente, lógico, é a mãe.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - O exército de crianças mendigas (a falta de atenção dos pais) - Gonçalo M. Tavares
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

O exército de crianças mendigas (a falta de atenção dos pais)

7 1
03.12.2023

Vejo uma criança de pouco mais de dois anos, muito bem vestida, sozinha, a caminhar com os esboços tremidos de passos que a idade determina. Já sabe andar, mas digamos: ainda não é uma........

© Expresso

Get it on Google Play