O ISCTE pegou em três das suas trinta casas de banho e abriu-as a todos os géneros, retirando a placa que as identificava como femininas ou masculinas. Tornou assim a vida mais fácil para os estudantes que não se sentem confortáveis numa casa de banho só para homens ou mulheres por não se identificarem com o sexo que lhes foi atribuído à nascença. E sobram espaços mais do que suficientes para quem prefere um modelo tradicional para fazer as suas necessidades.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - A autodeterminação das casas de banho - Eugénia Galvão Teles
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

A autodeterminação das casas de banho

4 1 4
11.06.2022

O ISCTE pegou em três das suas trinta casas de banho e abriu-as a todos os géneros, retirando a placa que as identificava como femininas ou masculinas. Tornou assim a vida mais fácil........

© Expresso

Get it on Google Play