Há quatro anos entrevistei o juiz Joaquim Manuel Silva. Foi na fase inicial do meu podcast “Perguntar Não Ofende”, que agora está no Expresso. O juiz já tinha intervenção pública e era conhecido pela defesa da residência alternada dos filhos depois de divórcio como princípio (quando possível) e não como exceção. Partilho a sua posição, nas isso é indiferente para esta história. Sabendo que as suas posições mais genéricas sobre a função restaurativa da justiça (que ela não se limita a punir, deve procurar e mediar soluções) e os seus meios nem sempre ortodoxos não lhe dão grande popularidade no meio judicial, tentei informar-me se, para além do que é polémico, era merecedor de credibilidade. Concluí que sim e a entrevista correu bem.

Já é assinante? Faça login Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

QOSHE - O juiz, a peticionária e os que se acham apenas mensageiros - Daniel Oliveira
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

O juiz, a peticionária e os que se acham apenas mensageiros

9 8 10
23.11.2022

Há quatro anos entrevistei o juiz Joaquim Manuel Silva. Foi na fase inicial do meu podcast “Perguntar Não Ofende”, que agora está no Expresso. O juiz já tinha intervenção pública e era conhecido pela defesa da........

© Expresso

Get it on Google Play