O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), liberou para julgamento a ação que pode deixar o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) inelegível.

Cabe agora ao presidente do TSE, Alexandre de Moraes, definir quando o plenário vai analisar o processo. A data ainda não está definida.

A ação é movida pelo PDT e questiona a reunião em que Bolsonaro denunciou suspeitas infundadas sobre a segurança do processo eleitoral a embaixadores estrangeiros. O encontro aconteceu em julho de 2022 no Palácio do Alvorada.

O vice-procurador-geral Eleitoral, Paulo Gustavo Gonet Branco, defendeu a condenação do ex-presidente por abuso de poder político. O argumento é que Bolsonaro usou indevidamente o cargo.

A ação foi liberada pelo ministro Benedito Gonçalves na mesma semana em que o TSE mudou a composição. Dois ministros indicados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aliados de Moraes assumiram na terça-feira, 30, vagas na Corte Eleitoral.

A minuta golpista apreendida pela Polícia Federal na casa do ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres, foi incluída como prova no processo. O rascunho previa uma intervenção do presidente e de membros do Ministério da Defesa no TSE para anular o resultado da eleição. A defesa de Bolsonaro diz que o documento é apócrifo e não pode servir como prova.

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Aos 47 anos de idade, o piracicabano Cristiano Zanin Martins pode ser o próximo ministro do Supremo Tribunal Federal, se passar pela sabatina do Senado; advogado ganhou projeção por seu empenho na defesa do presidente na Lava Jato

Informação foi confirmada por Rodrigo Pacheco; advogado do presidente assumirá cadeira de Ricardo Lewandowski se for aprovado no Senado

Presidente conversou com líder do partido na Câmara e reconheceu erros nas escolhas

Rodrigo Pacheco confirmou que Lula indica seu advogado pessoal para o Supremo Tribunal Federal ainda nesta quinta-feira; se aprovado pelo Senado, Zanin ocupará vaga do ministro Ricardo Lewandowski, que se aposentou em abril

Carla Fleury de Souza, do Ministério Público de Goiás, afirmou que vencimentos bancam apenas ‘vaidades’

QOSHE - Corregedor do TSE libera para julgamento ação que pode deixar Bolsonaro inelegível - Rayssa Motta
menu_open
Columnists Actual . Favourites . Archive
We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

Corregedor do TSE libera para julgamento ação que pode deixar Bolsonaro inelegível

6 0
01.06.2023

O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), liberou para julgamento a ação que pode deixar o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) inelegível.

Cabe agora ao presidente do TSE, Alexandre de Moraes, definir quando o plenário vai analisar o processo. A data ainda não está definida.

A ação é movida pelo PDT e questiona a reunião em que Bolsonaro denunciou suspeitas infundadas sobre a segurança do processo eleitoral a embaixadores estrangeiros. O encontro aconteceu em julho de 2022 no........

© Estadão - Blogs


Get it on Google Play