We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

“A Força que (des)faz”

5 0 0
06.10.2021

É obrigatório. Não poderia deixar de dedicar uma reflexão ao que se passou no passado dia 26 de setembro, nas eleições autárquicas que elegeram, pela terceira vez consecutiva, Ricardo Rio como Presidente da Câmara Municipal de Braga.
Queria justamente começar por aqui.
Após 37 anos de Mesquitismo, em que o PS fez de Braga aquilo que bem entendeu, a Coligação Juntos por Braga demonstrou que é possível criar uma alternativa sólida, credível e confiável. Como diz o povo “Não há mal que sempre dure...”.
Na sua maioria, os bracarenses fizeram um balanço muito positivo da governação que se iniciou em 2013 e se renovou em 2017.
Este facto é digno de especial realce, atenta a fragmentação do espaço político concelhio à direita do PS, onde surgiram duas candidaturas inéditas de partidos que apresentam, a nível nacional, uma dinâmica eleitoral nada negligenciável.
De resto, se somarmos a votação do Chega e da Iniciativa Liberal para a Câmara Municipal temos contados mais de 7000 votos. E se olharmos para dados mais finos, como os relativos à votação para a Câmara Municipal nas freguesias, o exemplo de S. Victor é elucidativo, já que a soma daqueles dois partidos equivale quase aritmeticamente aos votos que a Coligação Juntos por Braga ali perdeu face a 2017.
É certo que não se pode assumir uma........

© Correio do Minho


Get it on Google Play