We use cookies to provide some features and experiences in QOSHE

More information  .  Close
Aa Aa Aa
- A +

O cinema português sedento de se parecer com o real

4 6 94
09.11.2018

A vertigem das imagens no mundo pós-Internet provocou uma desorientação. De certa forma, aquilo que a televisão, o YouTube ou as redes sociais nos dão a ver são imagens fortes de um real muitas vezes impregnado de discursos contraditórios em que confluiu um tempo já denominado de pós-verdade (termo algo equívoco, mas que, pelo menos, assinala o furacão de imagens desordenadas que caracteriza o nosso tempo). Esta vertigem do real, em que concorrem telejornais, vídeos virais ou programas de reality tv, flui para uma nova ordem visual do mundo contemporâneo que não podia deixar de contaminar o cinema. Pretendemos aqui assinalar como isso se evidenciou no recente cinema português.

Sendo um dos exemplos mais marcantes do cinema de autor no panorama contemporâneo, o cinema português tem, como todos sabemos, ganho particular visibilidade no contexto internacional, estando presente nos grandes festivais e sendo valorizado como um cinema nacional de características cosmopolitas. Mesmo que se exponha, nesses fóruns, como um cinema nacional, as suas características formais há muito que deixaram de depender de uma singularidade própria, sobretudo pela diversidade de vozes que o constitui. No entanto, tem havido uma particular adesão dos cineastas portugueses a uma realidade quase “mediática” de Portugal. É como se os........

© PÚBLICO